A Fundação “O Século” foi criada em 1998 com o objetivo de continuar a obra social da antiga Colónia Balnear Infantil “O Século”, criada em 1927, por João Pereira da Rosa, o então diretor do Jornal “O Século”.

Criada há nove décadas, a Colónia Balnear recebeu milhares e milhares de crianças desfavorecidas em São Pedro do Estoril, crianças que só assim podiam ter férias. Foi aqui que muitas dessas crianças viram o mar pela primeira vez.

O Jornal “O Século”, através dos donativos que angariava junto dos seus leitores, era o suporte financeiro da Colónia Balnear, mas, os recursos começavam a diminuir e João Pereira da Rosa ousou inovar criando uma nova forma de sustentar o financiamento da Colónia: a Feira Popular de Lisboa, que foi inaugurada em 1943. As receitas de bilheteira ajudavam a suportar os custos da Colónia Balnear.

Hoje, a Fundação “O Século” tem uma vasta obra social, que vai muito para além das Colónias de Férias, que estiveram na sua origem.

O ato de criação da Fundação teve lugar no dia 3 de Abril de 1998. Um ano depois, a 18 de Junho 1999, a Fundação “O Século” foi reconhecida como Fundação de Solidariedade Social, com o estatuto de Utilidade Pública.

Em Setembro de 1999, por despacho conjunto da Presidência do Conselho de Ministros e dos Ministérios da Solidariedade Social e do Trabalho e das Finanças, o património Colónia Balnear Infantil de “O Século” e a Feira Popular de Lisboa, como financiador de base, foram afetos à Fundação.

Atualmente, todos os dias, a Fundação “O Século” apoia cerca de 800 pessoas: são crianças, idosos e famílias carenciadas que beneficiam da ajuda, através da intervenção da Fundação em diferentes áreas sociais.

Os Lares de Acolhimento de crianças e jovens em risco “Casa do Mar e a “Casa das Conchas”, que albergam 40 crianças e jovens institucionalizados; as “Casas da Ponte”, apartamentos de autonomização que acolhem perto de uma dezena de jovens nos primeiros passos rumo a uma vida autónoma.

O Século dos Pequeninos, que alberga 85 crianças na Creche e o Pré-escolar; a Loja Social; o Serviço de Apoio Alimentar, que distribui cerca de 100 refeições diárias; o Serviço de Apoio Domiciliário, apoiando, diariamente, idosos e pessoas acamadas ou com mobilidade reduzida; o Programa de Emergência Alimentar (Cantina Social), que distribui dezenas refeições por dia; o Centro de Apoio à Família e Aconselhamento Parental “Relógio de Areia”; e o projeto TAKE.IT – E6G | Talentos e Artes com Kreatividade e Empreendedorismo, que atua juntos dos jovens, tentando combater a problemática da desocupação juvenil nos bairros da Torre e Galiza, em Cascais, são as diferentes valências sociais que dão corpo à vasta obra social da Fundação.

Não esquecendo as suas raízes, todos os Verões centenas de crianças continuam a ter as merecidas férias em São Pedro do Estoril.

Entretanto, a Feira Popular de Lisboa, que era o financiador da obra social desenvolvida pela Fundação “O Século”, encerrou em 2003, por decisão da Câmara Municipal de Lisboa.

 

Para tentar encontrar novas formas de financiamento e visando alcançar a autossustentação, a Fundação “O Século” decidiu apostar no empreendedorismo social, avançando para a criação de novos negócios sociais.

 

 

Aposta Empreendedorismo social.

Aproveitando as suas excelentes instalações e, ao mesmo tempo,  apostando na rentabilização dos meios humanos e equipamento já existentes, passou a disponibilizar alojamentos para turismo a preços acessíveis, numa ala das antigas colónias de férias, entretanto, remodelada.

Por outro lado, decidiu, também, a Fundação potencializar a capacidade da cozinha, passando a vender refeições para fora (Instituições, Associações e empresas) e, em Outubro de 2015, a Fundação abriu uma loja aberta ao público onde vende refeições em regime de take-away. Modelo de venda de comida pronta a comer que foi replicado com sucesso no Centro de saúde de Oeiras.

Outra das apostas passou por disponibilizar o serviço de Lavandaria e Engomadoria também para o exterior (cafés, restaurantes, hotéis, hostels).

Desta forma, em 2013, foram criados três novos negócios da Fundação “O Século” :  Turismo d´ “O Século”,  Cozinha d’ “O Século” (venda de refeições para fora) e Lavandaria d´ “O Século”.

Estes novos negócios foram a forma que a Fundação encontrou para tentar responder aos problemas financeiros que derivaram do incumprimento abrupto do contracto/protocolo com a Câmara Municipal de Lisboa sobre a Feira Popular de Lisboa.

 Novos projetos

 O Cartão Amigos d’ “O Século”, lançado pela Associação dos Amigos da Fundação “O Século”, para além das muitas vantagens que lhe estão associadas (por exemplo, descontos na aquisição na aquisição de produto e serviço em vários estabelecimentos comerciais), é uma forma de todos os que no passado frequentaram a Colónia Balnear e todos os que se identificam com o trabalho desenvolvido atualmente pela Fundação, de alguma forma, ajudarem a nossa Instituição a continuar a ajudar quem mais precisa.

Por outro lado, a Câmara Municipal de Cascais, cedeu à Fundação “O Século” os terrenos contíguos nas traseiras do edifício de São Pedro do Estoril. Também para aí existem projetos autossustentáveis, que nos permitirão desenvolver a nossa atividade noutro patamar de serviço.

Recentemente, foi, também, inaugurado o Auditório Comendador Rui Nabeiro. Trata-se de um equipamento versátil e equipado com a melhor tecnologia de som, imagem e multimédia, que, desde a sua abertura, já acolheu centenas de atividades ou eventos como reuniões, encontros, workshops, conferências, concertos, projeção de filmes, entre outros.

Foi também criado, ainda, no interior das nossas instalações, o Parque Desportivo Rodolfo Crespo, constituído por dois campos desportivos, com piso sintético, para a prática de várias modalidades pelas nossas crianças, que será disponibilizado a outras instituições e Associações.

A atividade Cultural é outra das apostas da Fundação “O Século”, que, desde 2015, promove realização dos Encontros de Literatura Infanto-Juvenil da Lusofonia, que vão já a caminho da sua quarta edição.

Foi também criada a Escola de Violinos do Século, dirigida pela Professora Rita Mendes, é outro dos projetos acarinhados pela Instituição, que tem também promovido, igualmente, vários ciclos de conferências subordinadas à temática da Solidariedade, com enfoque para Infância e Juventude.