O Acolhimento de Emergência está em funcionamento no âmbito de um protocolo de cooperação estabelecido entre a Fundação “O Século” e a Cruz Vermelha Portuguesa e disponibiliza a cedência de camas e alimentação nas instalações da Fundação “O Século” para situações de emergência social, em especial vítimas de violência doméstica, pelo período de setenta e duas horas, na qual são cedidos alojamento e alimentação.

A Fundação “O Século” distingue-se no Acolhimento de Emergência por proporcionar aos utentes acesso à creche e pré-escolar para os filhos, caso a mãe tenha de se ausentar por assuntos relacionados com processos legais; acesso à loja social para aquisição, sem custos, de roupas, produtos de higiene pessoal ou outros; e acompanhamento de uma assistente social que faz a ponte com os serviços sociais da Cruz Vermelha.

 

Todos os seres Humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos.

Declaração Universal dos Direitos do Homem (1949), Art.1.º

 

A violência doméstica é um problema transversal, ocorrendo em diferentes contextos, independentemente de fatores sociais, económicos, culturais ou etários.

De acordo com o II Plano Nacional Contra a Violência Doméstica, entende-se por violência doméstica “(…) toda a violência física, sexual ou psicológica que ocorre em ambiente familiar e que inclui, embora não se limitando a, maus tratos, abuso sexual de mulheres e crianças, violação entre cônjuges, crimes passionais, mutilação sexual feminina e outras práticas tradicionais nefastas, incesto, ameaças, privação arbitrária de liberdade e exploração sexual e económica”.

Apesar da violência doméstica atingir igualmente as crianças, os idosos, pessoas dependentes e pessoas com deficiência, a realidade indica que as mulheres continuam a ser o grupo onde se verifica a maior parte das situações de violência doméstica (III PNCVD).