Casa das Conchas” – Lar residencial para Crianças e Jovens em Risco

A “Casa das Conchas” é um lar de acolhimento prolongado para crianças e jovens de ambos os sexos. Trata-se de uma resposta social criada em menos de 48 horas, em Dezembro de 2001, por solicitação da Segurança Social, perante a necessidade de acolher com urgência várias crianças e jovens que se encontravam numa situação de perigo e que, por decisão judicial, tiveram de ser retiradas de outra Instituição.

A “Casa das Conchas” destina-se ao acolhimento de 25 crianças e jovens, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 6 os 18 anos.

Privilegia-se a admissão de fratrias mistas, com família a residir no distrito de Lisboa, facilitando-se o contacto com a família de origem de cada criança/jovem acolhido, sempre que tal seja possível e desejável.

Os primeiros residentes do Lar eram, na sua maioria, crianças e jovens de origem guineense, o que exigiu um conhecimento de outras realidades e formas de pensar.

O objetivo principal central deste lar de acolhimento é o de definir e apoiar cada criança na concretização do seu projeto de vida, assegurando-lhe um ambiente seguro, alojamento, alimentação, vestuário, assistência médica, formação escolar e profissional adequada e atividades lúdicas, desportivas e culturais.

Procuramos incutir princípios e valores que promovam o respeito por si e pelos outros, estimulando o espírito de cooperação, partilha e de solidariedade.

A equipa da Casa das Conchas é constituída por uma equipa técnica multidisciplinar de 4 elementos, com formação nas áreas do serviço social, psicologia, sociologia e educação e por uma equipa educativa constituída por 10 elementos, que acompanha, permanentemente, o crescimento destas crianças, de forma a aumentar a auto-estima e com o objectivo de trabalhar a identidade, reforçar as aprendizagens escolares, desenvolver hábitos de estudo/trabalho saudáveis e promover a crescente autonomização.

 

Como é a “Casa das Conchas”?

Ocupa uma das alas oeste do edifício da Fundação “O Século”, em São Pedro do Estoril, que foi inteiramente remodelada e adaptada.

O Lar é constituído por uma sala de convívio para as crianças, quartos com zona de estudo (decorados pelas crianças), balneários, cozinha, lavandaria, arrecadação e gabinetes técnicos. Cada um destes espaços tem um nome dado pelas crianças e associado ao meio marinho.

 

Resultados esperados

– Aumento dos indicadores de boa saúde mental nas crianças e jovens, através de um plano terapêutico em articulação com o projeto “Relógio de Areia” da Fundação “O Século”

– Aumento do sucesso escolar enquanto resultado indirecto da intervenção terapêutica com a criança ou jovem e sua família;

– Aquisição das qualificações profissionais, privilegiando a via profissionalizante de ensino;

– Aumento da inserção de sucesso em mercado de trabalho dos jovens em projeto de autonomia.

 

Como funciona?

– Todas as crianças e jovens têm um adulto responsável (Educador de Referência) por acompanhá-las para além das suas rotinas diárias, tendo em conta as especificidades de cada um, as suas necessidades e o seu processo de crescimento;

– Modelo faseado de autonomia, negociado com as crianças e jovens consoante a aquisição de competências e características individuais de personalidade;

– Integração das crianças e jovens em actividades recreativas e desportivas na comunidade, bem como em trabalhos de voluntariado e de verão, para que adquiram alguns valores de cidadania e treinem competências profissionais.

 

Movimento

Desde o seu nascimento, a “Casa das Conchas” já acolheu 66 crianças e jovens, a maioria por situações de negligência e maus-tratos. Os 41 residentes que já saíram do Lar foram, na sua maioria, integrados na sua família de origem.

Sempre que possível, privilegiou-se a admissão de fratrias mistas, com família a residir no distrito de Lisboa, facilitando-se o contacto com a família de origem de cada criança/jovem acolhido.

Devido às características das famílias das crianças actualmente acolhidas e à intervenção que tem sido realizada, quer ao nível do desenvolvimento da criança quer ao nível da intervenção junto das famílias, a reintegração familiar surge como o projecto de vida mais frequente.

 

Utentes

Em Dezembro de 2012, o Lar “Casa das Conchas” tinha como residentes 25 crianças/jovens,13 do sexo feminino e 12 do sexo masculino, o mais novo com 5 anos de idade e o mais velho com 21 anos de idade (média de idades – 13 anos), sete crianças com deficiências ou incapacidades (4 meninas e 3 meninos). Residem na “Casa das Conchas” sete fratrias (cinco de 2 irmãos, uma de 3 e uma de 4 irmãos).

Tendo em conta os padrões de qualidade definidos no âmbito do Plano DOM/SERE+, não se prevê admitir mais de 25 crianças/jovens no Lar.

Ao longo do acolhimento privilegia-se a formação profissional como forma de facilitar a integração no mercado de trabalho.

Todas as crianças e jovens estão integrados ao nível escolar de acordo com as suas competências: Ensino Regular; Conservatório de Dança de Lisboa; Currículos Específicos Adaptados; Formação Profissional nas áreas de restauração, lavandaria, design gráfico, informática, multimédia, costura e operador de impressão e Escola de Ensino Especial.

Diariamente realizaram-se grupos de estudo, dinamizados por professores, voluntários e educadores.