O que são as “Casas da Ponte”?

Este projecto de Apartamentos de Autonomização é designado como “Casas da Ponte”.

As “Casas da Ponte” são Apartamentos de Autonomização da Fundação “O Século” destinados a acolher jovens provenientes dos Lares de Acolhimento (Casa das Conchas e Casa do Mar) da Fundação. Neste espaço, pretende-se que os jovens desenvolvam competências sociais e pessoais que lhes permitam fazer uma transição adequada para uma vida autónoma fora da Fundação, com vista a uma mais fácil integração na vida ativa, através da dinamização de serviços que articulam e potenciam os recursos existentes nos espaços territoriais.

Localização

Os dois Apartamentos (T3 e T4) de Autonomização localizam-se no Bairro 18 de Maio, em Outurela, Carnaxide, concelho de Oeiras. Estes estão integrados na comunidade, sem qualquer indicação exterior, inseridos numa zona residencial e com os recursos necessários a uma efetiva autonomização

Identificação e caracterização da população alvo

A população alvo do projecto são jovens que correspondam aos critérios de admissão, provenientes de instituições de acolhimento do distrito de Lisboa, dando sempre prioridade aos jovens dos lares de acolhimento da Fundação “O Século”,  a “Casa do Mar” e  a“Casa das Conchas”.

São jovens com um projecto de vida de autonomização a quem se quer dar o sentido de responsabilidade, capacidade e motivação para uma integração social plena.

 

Lotação

O apartamento T3 tem uma lotação até 3 jovens do sexo feminino e é composto por três quartos, uma cozinha, uma sala e uma casa de banho comuns.

O apartamento T4 tem uma lotação até 4 jovens do sexo feminino ou masculino e é composto por quatro quartos, uma cozinha, uma sala e duas casas de banho comuns.

 

Critérios de admissão

Os Critérios de Admissão para a entrada nos apartamentos são:

* Idade: Entre os 18 e os 21 anos. Excepcionalmente serão aceites jovens com idade inferior a 18 anos;

* Estar abrangido por uma Medida de Acolhimento;

* Estar integrado em curso de Formação Profissional, num emprego, ser estudante ou ser trabalhador estudante;

* Não ter estrutura familiar de suporte para a sua integração;

* Assumir um comportamento assertivo e ter relações estáveis com os pares e adultos na instituição onde reside;

* Ter atingido um grau elevado de responsabilidade e independência.

Objetivos Gerais

Proporcionar a jovens com uma medida de acolhimento um espaço onde possam desenvolver competências sociais e pessoais que lhes permitam a transição adequada para uma vida autónoma de forma plena, segura e integrante.

Específicos

  • Apoiar do ponto de vista social, formando, orientando e encaminhando no sentido da sua inserção na comunidade;
  • Apoiar na procura e manutenção de emprego;
  • Apoiar na gestão do orçamento familiar;
  • Apoiar na gestão da casa e de todas as tarefas domésticas;
  • Apoiar em todo o processo de autonomização plena;
  • Desenvolver processos individuais de acompanhamento e de apoio a nível psicossocial;
  • Fomentar o respeito pelas normas de convivência e respeito comum.

 

A longo prazo

Promover o desenvolvimento pessoal e social destes jovens tornando-os responsáveis, capazes de se respeitar a si e aos outros e seguros de si próprios.