te

A Ana Têmpera, “Aninhas” como é carinhosamente tratada por todos na Fundação “O Século”, está de saída para a vida autónoma, depois de ter vivido grande parte da sua vida numa das Casas de Acolhimento da Fundação “O Século” e, nos últimos anos, num dos apartamentos de autonomização do projeto Casas da Ponte.

Na hora da despedida fez questão de deixar por escrito “Um adeus carregado de saudades e agradecimento”.

 

“Há uns dias olhei para o calendário e apercebi-me que a Casa do Mar fazia 16 anos ! WOW ! Há 16 anos estava eu com os meus 7 aninhos, a entrar para um dos sítios que mais me fez feliz ao longo de 11 anos. Há 16 anos estava eu em êxtase porque ia ter um quarto com as minhas irmãs, um armário só para mim, um sofá e uma televisão. Ia ter uma nova família, que me acolheu de braços abertos e me ensinou o que é o Amor, aquele que eu pouco tinha sentido até aos 7 anos.

Há 16 anos conheci uma das pessoas mais fantástica que o Século tem, a Mafalda (agora sem o Dra, porque passou de minha técnica a uma amiga). Há 16 anos, encontrei um lar, uma família e pessoas que me ajudaram a traçar o caminho do sucesso que é e tem sido a minha vida.

Ontem, curiosamente o apartamento fez 5 anos! WOW! Há 5 anos que me tornei meia-independente, que comecei a pagar as minhas contas, que comecei a não ter um educador… que comprei o meu carro e que continuei a minha formação. Há 5 anos que os educadores que me criaram no século, hoje são meus AMIGOS. Para concluir esta cronologia, daqui a uns dias vou defender a minha tese! WOW, vou ser oficialmente Mestre daqui a 15 dias. Que alegria!

Toda esta barra cronológica repleta de sucesso não tinha acontecido se não existisse o Século, se não existisse uma Mafalda, se não existisse uma equipa de sonho que constrói a Casa do Mar e que diariamente procura o melhor para quem só teve o pior, se não existisse um apartamento de autonomia e uma Joana a ajudar-me em tudo.

Serve este e-mail em forma de despedida e de agradecimento. No final deste mês vou voar mais uma vez, aluguei uma casa e vou começar a minha vida adulta!

Não sei se já sabia, mas deixei a Zara, estou há seis meses a trabalhar na minha área de formação e tem sido uma experiência espetacular. Parece que tudo vai encaminhado, que tudo corre como planeado e como sonhado há 16 anos atrás… dia após dia fui conquistando cada passo, e hoje, aqui estou eu e dizer-vos: até já.

Hoje sou uma Mulher, ainda muito ambiciosa e ainda cheia de projetos por alcançar.

Mas não podia simplesmente ir … sem antes vos agradecer do fundo do coração por me terem ensinado a viver, a crescer e a vencer.

Vou-me embora, mas deixo um bocadinho de mim… deixo uma história bonita e de sucesso, deixo saudades e amigos para a vida. Agora que estou a montar a minha casa, já só imagino o primeiro jantar com a equipa que me acolheu no Século, só imagino o momento em que vou partilhar tamanha alegria com esta boa gente.

Do meu lado, um obrigada profundo… Obrigada a si que a certa altura entrou neste “processo” e sempre procurou o melhor para mim. Obrigada.

Espero que o Século continue a criar histórias bonitas e que o meu futuro nunca se afaste, estarei sempre por perto… mais não seja para contar uma história com um final feliz e por mostrar o quanto sou grata pelo Século se ter cruzado na minha vida”.

Ana Têmpera.

http://oseculo.pt/fos/wp-content/uploads/2018/01/te.jpghttp://oseculo.pt/fos/wp-content/uploads/2018/01/te-150x150.jpgGabinete de ComunicaçãoAcção SocialNotíciasA Ana Têmpera, 'Aninhas' como é carinhosamente tratada por todos na Fundação 'O Século', está de saída para a vida autónoma, depois de ter vivido grande parte da sua vida numa das Casas de Acolhimento da Fundação 'O Século' e, nos últimos anos, num dos apartamentos de autonomização do...Uma Fábrica de Amor