A Fundação “O Século” divulga, agora, no seu site, o Relatório e Contas do exercício de 2019 já devidamente aprovado pelos seus órgãos estatutários, no cumprimento das suas obrigações.

O ano de 2019 representou o primeiro exercício completo, desde que a actual administração foi eleita em 29 de março de 2018, tornando-se um ano de exploração decisivo na estratégia de reorganização de actividades e de negócios e no processo de reestruturação e reorganização internas, com vista a criar condições de exploração equilibradas e sustentáveis.

Este caminho foi prosseguido com sucesso, conduzindo a alterações radicais quer do “Balanço” quer do modelo e das condições de exploração da Fundação “O Século”.

Ao nível do “Balanço” e da situação patrimonial, é visível a positiva evolução registada, com forte aumento do “Activo” e dos “Capitais Próprios” e redução do “Passivo”.

O quadro sintético, que se apresenta de seguida, evidencia a melhoria considerável desses indicadores em dois anos. Sobretudo, essa evolução evidencia a saída de uma realidade de falência técnica e de insolvência iminente em fins de 2017/princípios de 2018, para uma situação patrimonial equilibrada e sustentável, capaz de suportar a construção de um futuro mais sólido.

No plano da exploração, a Fundação “O Século” conseguiu reverter em ano e meio as condições de exploração estruturalmente deficitárias que levaram à existência de défices de exploração em média de um milhão de euros nos anos 2015 a 2017, para um “Resultado Liquido”  corrente praticamente equilibrado, usando a mesma base de comparação – um prejuízo de 18 mil euros. Como, entretanto, a Fundação beneficiou do apoio do Fundo de Socorro Social no valor de 400 mil euros, esse “Resultado Líquido”  no final do ano foi 380 mil euros positivos.  

Esta notável evolução, que permitiu anular um prejuízo anual de exploração de natureza estrutural de cerca de um milhão de euros, foi sobretudo baseada na forte redução dos custos operacionais, quer de pessoal quer de aquisição de bens e serviços.

A preservação da qualidade de serviço, e mesmo a melhoria que foi possível obter em algumas áreas, só possíveis dada a formação e competência e o empenho dos trabalhadores, contribuíram para a estabilidade das receitas e foram factores decisivos para recuperar a imagem pública da Fundação “O Século”.

Esta evolução positiva das condições de exploração da Fundação, traduzindo um patamar de eficiência que permitiu gerar um montante de meios libertos bastante significativo, é, no entanto, ainda insuficiente para assegurar uma vida financeira sem dificuldades, com as responsabilidades inerentes ao serviço da dívida herdado do passado a representarem entre 25% a 30% dos Proveitos e a superarem ainda os recursos livres disponibilizados pela exploração.

 Ao mesmo tempo e durante estes últimos dois anos, tem vindo a ser programado um conjunto de investimentos nos sectores do turismo, da saúde e da mobilidade, para serem desenvolvidos em parceria com operadores reconhecidos, que contribuirão para consolidar o património e a exploração da Fundação em bases sustentáveis e sólidas, reforçando assim os resultados já obtidos nestes dois anos.

Pode conhecer o Relatório e Contas de 2019 em pormenor e na integra aqui.

https://oseculo.pt/fos/wp-content/uploads/2019/05/PM_052-1024x683.jpghttps://oseculo.pt/fos/wp-content/uploads/2019/05/PM_052-150x150.jpgGabinete de ComunicaçãoNotíciasA Fundação 'O Século' divulga, agora, no seu site, o Relatório e Contas do exercício de 2019 já devidamente aprovado pelos seus órgãos estatutários, no cumprimento das suas obrigações. O ano de 2019 representou o primeiro exercício completo, desde que a actual administração foi eleita em 29 de...Uma fábrica de amor